Se você navegou pelo Twitter ou pelo Instagram neste fim de semana, certamente viu alguns de seus amigos ou celebridades compartilhando imagens deles mais velhos. Não, eles não entraram em uma máquina do tempo para tirar uma selfie ou envelhecer durante a noite. Eles estão simplesmente usando um aplicativo que tem a capacidade de sugerir como seremos daqui 30 ou 50 anos. Então, que aplicativo é este e será que devemos mesmo usá-lo nos nossos preciosos celulares que estão repletos de informações pessoais?!

O aplicativo em questão é o FaceApp. Trata-se de um app gratuito e disponível na App Store da Apple e no Google Play para dispositivos Android. Usando inteligência artificial, o aplicativo cria transformações realistas dos rostos dos usuários usando vários filtros.

O FaceApp tornou-se viral primeiramente em 2017, mas com muitas atualizações desde então, a tecnologia tornou-se ainda mais realista, fazendo com que ela se tornasse viral novamente. A versão gratuita oferece uma escolha limitada de filtros, mas não se preocupe, o que envelhece está disponível gratuitamente. Você também tem opções para mudar o seu rosto, incluindo mudar a sua boca para um sorriso, mudar a cor do seu cabelo e trocar de sexo.

Você também pode voltar no tempo, mesmo que que este filtro não seja tão realista e não seja tão divertido de usar. Talvez porque já saibamos como éramos quando mais novos, então a taxa de sucesso do aplicativo com essa transformação é menor.

Como o FaceApp Funciona?

O FaceApp foi desenvolvido por uma pequena equipe de São Petersburgo, na Rússia.

“Desenvolvemos uma nova tecnologia que usa redes neurais para modificar um rosto em qualquer foto, mantendo-a foto realista. Por exemplo, pode adicionar um sorriso, mudar de sexo e idade ou apenas torná-lo mais atraente”, disse o fundador e CEO Yaroslav Goncharov.

E Goncharov explica que o fato de o FaceApp ser tão realista é o que o diferencia de qualquer concorrência.

“Nosso principal diferencial é o fotorrealismo”, disse ele. “Depois de aplicar um filtro, ainda é sua foto. Outros aplicativos intencionalmente mudam uma imagem de uma forma que é divertida, mas não uma foto real mais.”

Você pode tirar uma foto através da funcionalidade de câmera do aplicativo ou obter uma da sua galeria pré-existente. No entanto, por motivos de segurança, tenha cuidado com qualquer aplicativo que solicite acesso à sua galeria pessoal. O FaceApp, como a maioria dos aplicativos, tem uma página de privacidade detalhando como eles usam o conteúdo do usuário. Lá, o aplicativo admite que “pode ​​compartilhar o Conteúdo do Usuário e suas informações com empresas que são legalmente parte do mesmo grupo de empresas que o FaceApp é”.

“Também podemos compartilhar suas informações, bem como informações de ferramentas como cookies, arquivos de log e identificadores de dispositivos e dados de localização, com organizações terceirizadas que nos ajudam a fornecer o Serviço para você”, continua a política de privacidade.

É Seguro Usar o FaceApp?

O problema com o FaceApp – e provavelmente como muitos outros apps em seu telefone – é que não está claro o que acontece com todos os dados que você fornece. A política de privacidade da empresa deixa uma boa margem de manobra. É basicamente uma política de privacidade padronizada, que efetivamente não oferece a você proteção alguma.

Também houve acusações de que o aplicativo estava polarizando tons de pele mais claros, levando a alegações de que era racista. Em uma declaração ao TechCrunch, Yaroslav Goncharov se desculpou e disse que estava trabalhando em uma correção.

“Lamentamos profundamente esta questão inquestionavelmente séria. É um efeito colateral infeliz da rede neural subjacente causada pelo viés do conjunto de treinamento, e não pelo comportamento pretendido”.

O FaceApp pediu desculpas por treinar sua IA em (presumivelmente) rostos quase brancos, mas por que eles não notaram isso antes de disponibilizar o app ao público? O advogado Michael Bradley, sócio-gerente da Marque Advogados, disse que você deve decidir se deve ou não usar o app, mas como muitas coisas que vêm de graça no mundo da tecnologia: “quando o produto é de graça então o produto na verdade é você!”.

Qualquer um que tenha colocado seu rosto online em conjunto com seu nome e outros dados de identificação já está muito vulnerável a ser capturado digitalmente para futuros usos de reconhecimento facial.

O presidente da Australian Privacy Foundation, David Vaile, é franco: “não use o aplicativo!”.

“Eles pedem mais direitos do que precisam para oferecer o serviço a você, [eles] podem remover os dados de qualquer regime de proteção legal eficaz, compartilhá-los com quase todos e retê-los indefinidamente. É impossível dizer o que acontece quando você faz o upload, esse é o problema. Eles podem alegar que podem enviar para onde quiserem para quem quiserem, e desde que haja algum conexão, [eles podem] fazer um monte de coisas com ele. “

Jon Lawrence, diretor executivo da Electronic Frontiers, disse que as pessoas precisam pensar com cuidado – especialmente quando se trata de reconhecimento facial.

“Facebook, claro, está na vanguarda disso. O reconhecimento facial está rapidamente se tornando um dos elementos-chave da identidade digital e as pessoas devem, portanto, considerar a proteção de sua imagem facial da mesma maneira que devem proteger outros elementos de sua identidade, como data de nascimento, número de arquivo etc.”

Caso Angry Birds

Você pode não estar se lembrando mas cinco anos atrás vazou a notícia de que o governo dos E.U.A. espionava a vida dos cidadãos com a ajuda de aplicativos vulneráveis. A Agência de Segurança Nacional (NSA) utiliza aplicativos vulneráveis, como o jogo “Angry Birds” para acessar informação pessoal ou dados de localização no mundo todo , revelaram os jornais “New York Times” e “Guardian”.

“As agências de inteligência dos Estados Unidos e Reino Unido desde 2007 tentam explorar a grande quantidade de informação obtida por aplicativos móveis e os compartilhamentos em redes sociais”, disse na ocasião o ex-analista da NSA, Edward Snowden.

Segundo os jornais, a NSA reconheceu as imensas possibilidades de espionagem que os “smartphones” reúnem pelos aplicativos, e são chamados de “sementes de ouro”, revelou uma das páginas do documento, datada de maio de 2010.

A NSA recomenda buscar modos de explorar utilidades como Google Maps e obter dados de posicionamento, contatos, direções e telefones nos metadadosde fotos compartilhadas em redes sociais como Facebook, Flickr, LinkedIn e Twitter.

angry birds

Os documentos revelados por Snowden mostraram, por exemplo, que o centro de escutas do Reino Unido, GCHQ, tentou quebrar partes do código de programação do jogo “Angry Birds” para Android para obter dados pessoais.

Dicas de Segurança para Impedir que Apps Roubem seus Dados

Fique Atento às Permissões dos Aplicativos

Uma dica que quase todos os especialistas mencionam é verificar quais permissões o aplicativo solicita. Você também deve se perguntar se faz sentido para um aplicativo solicitar determinadas permissões. Um aplicativo pedindo acesso a dados que não são relevantes para sua função é um grande sinal de alerta.

“Se você está baixando um aplicativo simples para uma calculadora de bolso, por exemplo, e o aplicativo está solicitando acesso à sua lista de contatos e localização, já caracteriza algo estranho. Por que uma calculadora precisa ver sua lista de contatos e sua localização? Solicitações como essa devem tocar alguns sinais de alarme.

Além de prestar atenção às permissões que você concede a um aplicativo, também é importante monitorar como ele se comporta depois de baixá-lo. Mudanças drásticas na duração da bateria do seu dispositivo são outra bandeira vermelha, já que aplicativos maliciosos podem ser executados constantemente em segundo plano.

Pesquise Sobre a Reputação do Aplicativo e da Empresa

Embora você não saiba dizer se o aplicativo tem motivos sinistros, uma pesquisa rápida no Google pode fornecer mais informações. Os especialistas sugeriram pesquisar o nome do aplicativo e a expressão “fraude”. Os resultados devem informar se a empresa sofreu algum vazamento recente de privacidade ou de dados. É sensato também evitar um aplicativo se for o único que um desenvolvedor produziu ou se o desenvolvedor foi responsável por qualquer outro aplicativo obscuro.

Limite a Exposição nas Redes Sociais

O escândalo de dados da Cambridge Analytica do Facebook colocou a popular rede social na berlinda. Mas mesmo as pessoas que saíram do Facebook após o episódio (ou nunca estiveram por lá) ainda podem estar em risco de invasão de privacidade. Se você aparecer na conta de um amigo ou parente, ainda estará visível on-line. As empresas podem construir um “perfil sombrio” que detalha os gostos, desgostos, inclinações políticas, crenças religiosas e mais de uma pessoa.

É aconselhável limitar a quantidade de informações que você compartilha nas redes sociais, independentemente do que o site solicitar em seu perfil. Quanto mais informações você compartilhar, mais dados estarão disponíveis. Preencha apenas a quantidade mínima absoluta de informações necessárias. Quanto mais informações estiverem em risco no caso de uma violação de dados.

Mantenha o Software Atualizado

Dedicar tempo para atualizar o sistema operacional (SO) do seu smartphone é fundamental para manter seus dados seguros. As atualizações permitem que você fique um passo à frente dos hackers e das últimas explorações que estão disseminando pela Internet.

Pense em atualizações de software como vacinas para o seu smartphone. Os métodos que criminosos usam para invadir seu telefone e roubar seus dados estão em constante evolução, então as formas que protegemos nossos smartphones também precisam evoluir.

Baixe Aplicativos Apenas nas Lojas Oficiais

Nem todos os aplicativos da App Store ou da Google Play Store são 100% confiáveis, mas os especialistas ainda dizem que você deve fazer o download apenas das lojas oficiais. Os aplicativos disponíveis nessas plataformas terão sido examinados para garantir que eles atendem a uma qualidade padrão de proteção de dados e também serão obrigados a produzir uma política de privacidade dedicada para você, informando como eles protegem seus dados.

O download de um aplicativo de sites não oficiais ou inseguros aumenta o risco de vírus de ransomware, malware, spyware e trojan infectarem seu dispositivo. Além de evitar aplicativos que são os únicos desenvolvidos por uma empresa, os usuários devem ver quanto tempo um aplicativo está disponível e analisar os comentários antes de fazer o download.

1 thought on “FaceApp Virou Moda na Internet Mas Você Pode Estar Sendo Espionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.