telefone cissa magazine

Todo serviço de atendimento ao consumidor (SAC) da Cissa Magazine deve ser realizado pelo site ou através de telefone. A central de atendimento funciona nos dias úteis das 09:00 às 18:00 hrs. O telefone da Cissa Magazine para falar com um atendente é (47)3520-8000 e o WhatsApp da Cissa Magazine é (47)8810-0500.

SAC é o Serviço de Atendimento ao Consumidor das empresas prestadoras de serviços e vendedoras de produtos. O objetivo deste canal de comunicação  é resolver as demandas dos consumidores sobre dúvidas, reclamações, cancelamentos, etc. O contado do cliente com o Serviço de Atendimento ao Consumidor deve ser gratuito, isto é, o atendimento das solicitações dos consumidores não pode resultar em qualquer custo.

Quanto à qualidade do atendimento, o SAC deverá obedecer aos princípios da boa-fé, transparência, eficiência, celeridade e cordialidade, além disso, o atendente que lhe prestará o serviço deverá ser totalmente capacitado para lhe prestar o melhor atendimento possível. Você também possui o direito de ter seu contato transferido do atendente do SAC para o setor competente da empresa, que seja devidamente capacitado a atender os seus questionamentos.

O canal de atendimento ao consumidor pode ser implementado de diversas formas tais como canal telefônico, chat online, email e redes sociais. O importante é saber que todo cliente quer e tem o direito de ser bem atendido, seja lá qual for o produto ou serviço que estiver adquirindo.

SAC e Ouvidoria

É muito comum que os consumidores não entendam a diferença entre SAC e Ouvidoria. O Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) é a forma direta de comunicação entre cliente e empresa para a resolução de problemas e dúvidas. Já a ouvidoria é um canal mais amplo do atendimento ao consumidor. A ouvidoria funciona como se fosse um coletivo de possibilidades que o cliente pode acessar, inclusive em órgãos de defesa do consumidor, antes de entrar de fato com um processo na justiça contra a empresa.

O contato com a ouvidoria deve ser a última tentativa de contato do cliente com a empresa antes de um processo judicial ser iniciado. Para ter acesso à ouvidoria, um cliente precisa primeiramente entrar em contato com o SAC. Se o atendente do SAC não solucionar o problema do cliente, o mesmo deve entrar em contato com a ouvidoria. Finalmente, se o canal de ouvidoria não resolver o problema, o cliente deverá acessar o órgão regulador da categoria ou ir à justiça para garantir seus direitos.

Como Entrar em Contato com o Cissa Magazine?

A Cissa Magazine pode ser considerada uma velha conhecida do e-commerce no Brasil. Assim como outras empresas, a loja aposta na presença online e na experiência em logística para atender ao público que compra pela internet. Criada em 2010, já são quase dez anos de atuação no mercado. No início, a loja online era especializada em smartphones, mas, ao longo do tempo, foi acrescentando outros produtos em suas prateleiras virtuais. Atualmente, já são mais de 120 funcionários e diversos prêmios, certificações e sistemas de segurança que indicam seu compromisso com o bom atendimento ao consumidor. Caso queira entrar em contato com o atendimento da Cissa Magazine, deve-se usar um dos seguintes canais:

1 – Telefone Cissa Magazine

A Cissa Magazine disponibiliza um canal de atendimento telefônico ao cliente. O telefone é (47)3520-8000 e funciona das 09:00 às 18:00hr nos dias úteis.

2 – Fale Conosco Cissa Magazine

Você poderá entrar em contato com a Cissa Magazine através do site nesta página.

3 – Email Cissa Magazine

Entre em contato imediatamente através do e-mail: [email protected].

4 – Ouvidoria Cissa Magazine

O serviço de ouvidoria funciona no seguinte email: [email protected]m.br.

5 – Entrar em Contato com o Cissa Magazine nas Redes Sociais

Canais de Reclamações dos Consumidores

Sabemos que os canais de atendimento ao consumidor (SAC) e serviços de ouvidoria das empresas deveriam ser suficientes para o consumidor resolver todas suas questões. Mas nem sempre as empresas atendem os clientes da forma adequada. Pensando nisto, preparamos uma lista de canais de reclamação que todo cidadão pode usar para realizar reclamações a respeito de produtos e serviços.

Procons

Os Procons são órgãos vinculados aos governos estaduais que atuam na defesa dos direitos dos consumidores. Os procedimentos variam de acordos com os estados, mas há características comuns. Qualquer pessoa física ou jurídica pode fazer reclamações, que devem ser oficializadas por meio do site www.consumidor.gov.br ou presencialmente nas sedes e postos de atendimento. Não há cobrança de taxas para o auxílio. Alguns Procons possuem sistemas próprios para receber reclamações pela Internet, como é o caso do de São Paulo.

Os órgãos atuam em qualquer relação de consumo, com algumas exceções. No caso do Procon DF, a assistência não ocorre em casos de venda entre particulares, relação entre locador e locatário, multa de trânsito e relação entre advogado e cliente, entre outros. Para fazer a reclamação, é preciso apresentar documento de identificação, comprovante de residência, comprovante da relação de consumo (nota fiscal, recibo, contrato) e outros documentos (como boleto, garantia etc…).

Consumidor.gov.br

O Portal do Consumidor é um recurso criado pelo Ministério da Justiça como parte do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor. A pessoa pode registrar uma queixa e a empresa tem até 10 dias para responder. Esse procedimento só é válido para aqueles fornecedores cadastrados no site. Ou seja, o serviço depende de uma adesão voluntária das companhias.

O portal serve como um canal de comunicação e, no período de 10 dias, a empresa pode dialogar com o consumidor. Ao fim do prazo, precisa dar uma resposta à demanda. Já a pessoa que apresentou a reclamação pode comentar o retorno e dizer se considerou a situação resolvida. Se o problema não for resolvido, o Ministério não promove outro tipo de sanção ou processo administrativo.

Juizados Especiais Cíveis

Para quem recorre à Justiça, a alternativa mais simples é entrar com uma reclamação em um juizado especial cível, que são instâncias específicas dos tribunais de Justiça de cada estado. Pessoas físicas com mais de 18 anos, micro e pequenas empresas e organizações da sociedade civil podem acessar este recurso.

As reclamações têm limite de 40 salários mínimos. Se o valor da causa for maior, o consumidor só poderá receber até este limite. Se o caso for de valor de até 20 salários mínimos, não é necessário contratar advogado. No entanto, se o valor for superior, a presença deste profissional passa a ser necessária. Os custos de um advogado são definidos em tabelas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de cada estado.

As reclamações devem ser feitas por escrito, com cópias de documento de identidade, CPF, comprovante de residência e outros documentos que embasem o processo. É preciso ter também dados da pessoa acionada, como nome, endereço, nacionalidade e profissão.

Os juizados especiais buscam resolver os processos por meio de acordos. Para isso são chamadas audiências de conciliação. Caso não haja consenso, o juiz responsável pode determinar uma sanção se considerar que o consumidor está correto em seu pleito.

Justiça Comum

Outra opção é apelar à Justiça para resolver um impasse em uma relação de consumo. O consumidor pode recorrer aos juizados especiais cíveis ou acionar o Tribunal de Justiça do seu estado. Para isso, independentemente do valor da causa, é preciso contratar um advogado. Mas nem sempre o juizado especial é mais rápido, pois a agilidade depende da fila de processos.

Site Reclame Aqui

O site Reclame Aqui é um site brasileiro de reclamações contra empresas sobre atendimento, compra, venda, produtos e serviços. É um serviço gratuito, tanto para os consumidores postarem suas reclamações quanto para as empresas responderem a elas. Trata-se de um site no qual consumidores fazem um cadastro de seus dados pessoais e podem enviar reclamações. A política de privacidade do site não permite a identificação do consumidor na publicação das páginas, pois as reclamações feitas são indexadas por motores de busca e visíveis para consulta. O acesso aos dados que foram cadastrados pelo cliente ocorre apenas com a empresa envolvida, para facilitar a busca da resolução do problema. Assim, é transmitida à empresa envolvida um e-mail com os detalhes, caso ela possua um cadastro para respostas no site.

Com os dados gerados, são obtidos rankings automatizados e o Reclame Aqui faz uma avaliação da empresa utilizando diversos critérios próprios. O status máximo de uma empresa no site é possuir o Selo RA 1000, o qual também possui critérios específicos. Os consumidores podem, depois de terem suas questões respondidas pelas empresa, indicar que o problema foi resolvido ou não, além de ter o direito a réplicas e, ao final, mostrar por meio de smiles a sua opinião sobre a resposta da empresa reclamada. A descrição do problema que o cliente publica é avaliada por uma equipe do site antes de ser publicada. Isto ocorre pois sua política não permite conteúdo ofensivo na redação dos usuários

Reclamações Cissa Magazine Mais Comuns

A exemplo da maioria das empresas, a Cissa Magazine também apresenta problemas nos seus serviços. Apesar disto, a empresa está sempre em busca da melhoria contínua dos seus processos para atender seus clientes da melhor forma possível. Porém, é fundamental a participação do consumidor de forma ativa, reportando falhas e erros de sistema para que possam ser rapidamente sanadas pela Cissa Magazine. Veja a seguir algumas dúvidas muito comuns dos clientes Cissa Magazine.

Ainda não recebi meu produto. Qual é a situação do meu pedido?

Para verificar o status de seu pedido, acesse o site, insira seu E-MAIL e SENHA, entre em MEUS PEDIDOS, clique em “Exibir Detalhes” ao lado do pedido desejado para saber qual a situação do mesmo. Se seu produto já foi REMETIDO, aparecerá um link ao lado do código de rastreamento. Para verificar o andamento da entrega, basta clicar no link ao lado direito do código de rastreamento. Você não precisará do código de rastreamento, e nem de entrar no site do transportador.

Não fiquei satisfeito com minha compra. Desejo devolver o produto ou trocá-lo. Posso?

Se você efetuou a compra com a Cissa Magazine, recebeu o produto em perfeitas condições e ainda assim não se sentiu feliz com a compra, você poderá solicitar através da central de atendimento ou email, a desistência da compra, tendo seu valor total restituído ou a troca por outro produto.

Comprei um aparelho/acessório e recebi outro. O que eu faço?

Entre em contato imediatamente através do e-mail: [email protected]

Gostaria de cancelar meu pedido. Como faço?

Você poderá solicitar o cancelamento de seu pedido apenas se a mercadoria não tiver sido faturada. Para saber se a mercadoria foi faturada, entre na seção Minha Conta. Digite seu e-mail e senha e consulte o pedido. Se o pedido estiver com o status “Transporte”, não poderemos cancelá-lo. Se ele ainda não tiver sido faturado, entre em contato através do e-mail ou abrir um ticket de atendimento. Mas atenção: se no período entre sua consulta sobre o status do pedido e o recebimento de sua solicitação de cancelamento o pedido for faturado, o pedido não poderá ser cancelado.

3 thoughts on “Telefone Cissa Magazine

  1. Efetuei a compra de um IPhone e o status da compra fica em “Conferência de dados” Recebi um e-mail para tal conferência, e recebi uma mensagem no site da conferência que o valor seria estornado. Não quero o estorno do valor, quero o produto. Aliás, nem o estorno foi efetuado.

  2. Faz 4 dias que realizei a compra, 2 dias que o pagamento foi aprovado e a empresa não envia meu produto! Quero receber o quanto antes e sem atrasos no prazo de entrega.

  3. Tentei entrar em contato com a empresa porém telefone fornecido não chama e o que chamam de chat online se trata de atendimento via e-mail.
    Meu pedido teria como previsão de postagem até ontem, mas até o presente momento não ocorreu andamento, no site consta que o produto (fone de ouvido) não está mais disponível, porém no momento em que efetuei a compra o item estava disponível.
    lei 8.078/90

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.