telefone yamaha

Procurando pelo telefone de contato da Yamaha? O canal de atendimento ao consumidor pode ser implementado de diversas formas tais como canal telefônico, whatsapp, chat online, email e redes sociais. O importante é saber que todo consumidor quer e tem o direito de ser bem atendido, seja lá qual for o produto que estiver adquirindo. Ideias inovadoras, investimentos arrojados e centenas de profissionais capacitados garantem o melhor atendimento aos consumidores da Yamaha . Poucas empresas são tão modernas quanto a Yamaha – hoje uma referência mundial em fabricação de motocicletas. A Yamaha trabalha para o consumidor. Procura não apenas atender às suas necessidades, mas superar expectativas. Saiba agora quais são os contatos para falar com a Yamaha.

Atualmente, aqui no Brasil a Yamaha fabrica motocicletas que abrangem desde as categorias de entrada até as tão empolgantes motocicletas de alta cilindrada. Está presente também no universo náutico, fabricando os renomados motores Yamaha, e comercializando os emocionantes waverunners.

Canais de Contato da Yamaha

SAC é o Serviço de Atendimento ao Consumidor das empresas prestadoras de serviços e vendedoras de produtos. O objetivo deste canal de comunicação  é resolver as demandas dos consumidores sobre dúvidas, reclamações, cancelamentos, etc. O contado do cliente com o Serviço de Atendimento ao Consumidor da Yamaha deve ser gratuito, isto é, o atendimento das solicitações dos consumidores não pode resultar em qualquer custo. Quanto à qualidade do atendimento, o SAC da Yamaha deverá obedecer aos princípios da boa-fé, transparência, eficiência, celeridade e cordialidade, além disso, o atendente que lhe prestará o serviço deverá ser totalmente capacitado para lhe prestar o melhor atendimento possível. Você também possui o direito de ter seu contato transferido do atendente do SAC para o setor competente da empresa, que seja devidamente capacitado a atender os seus questionamentos. Confira então quais são todos os canais de contato para falar com a Yamaha .

Canal para Falar Contato Yamaha
Telefone de SAC da Yamaha (11) 2431-6500
Telefone de Recall da Yamaha 0800-774-3738
Televendas da Yamaha 11-2431-6001
WhatsApp da Yamaha Não tem
Chat Yamaha para Suporte Não tem
Email Yamaha de Atendimento atendimento.online@yamaha-motor.com.br
Fale Conosco Yamaha www3.yamaha-motor.com.br/contato
Ouvidoria Yamaha 0800-774-9000
ouvidoria@yamaha-motor.com.br
Denúncias Yamaha www3.yamaha-motor.com.br/canaldedenuncia
Recall Yamaha www3.yamaha-motor.com.br/recall

Canais de contato da Yamaha

Para manter em dia o compromisso de qualidade no atendimento, a Yamaha oferece diversos canais de atendimento. Caso queira entrar em contato com a Yamaha , deve-se usar um dos seguintes canais:

Qual é o Telefone da Yamaha ?

O telefone de atendimento da Yamaha é (11) 2431-6500. Horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 08:30 às 17:30. Para deficientes auditivos e de fala o atendimento é no número 0800-774-1415 disponível de segunda a sexta-feira das 8h às 20h e aos sábados das 8h às 14h.

Qual é o 0800 da Yamaha?

O telefone 0800 da Yamaha para assuntos relacionados a recall é 0800-774-3738. Horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 08:30 às 17:30.

Qual é o EMail Yamaha ?

O email da Yamaha para compras online é atendimento.online@yamaha-motor.com.br.

Qual é o Atendimento do Consórcio Yamaha?

O telefone de SAC do consórcio Yamaha é 0800-774-3233. O email é sac.consorcio@yamaha-motor.com.br. Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 20h e aos sábados das 8h às 14h. Já o telefone da central de relacionamento do consórcio Yamaha é (11) 2088-7700. Atendimento segunda a sexta-feira das 8h às 20h e atendimento eletrônico 24h todos os dias.

Qual é o Atendimento do Banco Yamaha?

O telefone de SAC do banco Yamaha é 0800-774-8283. O email é sac.banco@yamaha-motor.com.br. Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 20h e aos sábados das 8h às 14h. Já o telefone da central de relacionamento do banco Yamaha é (11) 2088-7700. Atendimento segunda a sexta-feira das 8h às 20h e atendimento eletrônico 24h todos os dias.

Qual é o Atendimento do Seguro Yamaha?

O telefone da central de relacionamento do seguro Yamaha é (11) 2088-7700. O email é sac.corretora@yamaha-motor.com.br. Atendimento segunda a sexta-feira das 8h às 17h. Já o telefone do serviço de atendimento a rede de concessionárias Yamaha é  (11) 2431-6100. Atendimento de segunda à sexta das 8h às 17h.

Como Localizar Concessionária Yamaha ?

Encontre a concessionária Yamaha mais perto de você através do mapa de localização. Para encontrar, insira no campo de busca um endereço com cidade ou CEP e pressione “OK” para confirmar.

Qual é a Ouvidoria Yamaha ?

É muito comum que os consumidores não entendam a diferença entre SAC e Ouvidoria. O Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) é a forma direta de comunicação entre cliente e empresa para a resolução de problemas e dúvidas. Já a ouvidoria é um canal mais amplo do atendimento ao consumidor. A ouvidoria funciona como um conjunto de possibilidades que o cliente pode acessar, inclusive em órgãos de defesa do consumidor, antes de entrar de fato com um processo na justiça contra a empresa. O contato com a ouvidoria deve ser a última tentativa de contato do cliente com a empresa antes de um processo judicial ser iniciado. Para ter acesso à ouvidoria, um cliente precisa primeiramente entrar em contato com o SAC. Se o atendente do SAC não solucionar o problema do cliente, o mesmo deve entrar em contato com a ouvidoria. Finalmente, se o canal de ouvidoria não resolver o problema, o cliente deverá acessar o órgão regulador da categoria ou ir à justiça para garantir seus direitos.

Entre em contato com a ouvidoria Yamaha pelo telefone 0800-774-9000 (consórcio),  ou pelo email ouvidoria@yamaha-motor.com.br. Atendimento de segunda a sexta-feira das 9h ás 17h.

Quais são as Reclamações da Yamaha ?

As principais reclamações da Yamaha são peças de má qualidade, falta de peça de reposição, atraso na entrega, falta de garantia, danos ao veículo e qualidade do serviço. Os produtos da Yamaha mais reclamados são peças e veículos. Os problemas da Yamaha mais comuns são problemas com atendimento, problemas com fabricantes de moto, acessórios para motos, problemas com reparos e consertos.

É importante lembrar que toda empresa possui problemas nos seus serviços e produtos, e com a Yamaha não seria diferente. Mas a empresa tenta superá-los de forma rápida para melhor atender seus clientes. Sendo assim, a sua participação, de forma mais efetiva, relatando as problemas e sugerindo melhorias, é fundamental para que a empresa aperfeiçoe seus processos. Aconselhamos fazer sua reclamação nos canais listados acima. Não obtendo resposta da Yamaha , sugerimos usar o site ReclameAqui.

O ReclameAqui é um site brasileiro de reclamações contra empresas. É um serviço gratuito, tanto para os consumidores postarem suas reclamações quanto para as empresas responderem a elas. Trata-se de um site no qual consumidores fazem um cadastro de seus dados pessoais e podem enviar reclamações. A política de privacidade do site não permite a identificação do consumidor na publicação das páginas, pois as reclamações feitas são indexadas por motores de busca e visíveis para consulta.

O acesso aos dados que foram cadastrados pelo consumidor ocorre apenas com a empresa envolvida, para facilitar a busca da resolução do problema. Assim, é transmitida à empresa envolvida um e-mail com os detalhes, caso ela possua um cadastro para respostas no site. Com os dados gerados, são obtidos rankings automatizados e o Reclame Aqui faz uma avaliação da empresa utilizando diversos critérios próprios. O status máximo de uma empresa no site é possuir o Selo RA 1000.

Você poderá também fazer sua reclamação via WhatsApp. Basta adicionar o número de WhatsApp (11) 97062-2753 e começar o processo que será respondido por meio de inteligência artificial. Em poucos minutos, já será possível ter a reclamação completa pelo aplicativo. Depois de postar o texto da reclamação, o Whatsapp do ReclameAqui envia um link para o usuário validar a queixa no site. Para quem ainda não é cadastrado, é importante preencher os dados para fazer parte dos consumidores que usam a plataforma.

Quais são os Contatos da Yamaha nas Redes Sociais?

A Yamaha também está antenada na modernidade tecnológica que nos cerca e, pensando nisso, a empresa também está presente nas principais mídias sociais. Através de canais como Facebook, Twitter e Instagram você poderá entrar em contato com a equipe de atendimento da Yamaha . Confira:

Quais são os Canais de Reclamações dos Consumidores?

A Yamaha trabalha com dedicação e esmero para lhe atender. Por isso, o objetivo da Yamaha é proporcionar facilidade, comodidade e uma excelente experiência no seu serviço de atendimento. Sempre preocupada em aumentar a satisfação do consumidor e ajudá-lo no que for preciso, sanando dúvidas, auxiliando no que mais for preciso. Sabemos que os canais de atendimento ao cliente deveriam ser suficientes para você resolver todas suas questões, mas nem sempre isto é possível. Pensando nisto, preparamos uma lista de canais de reclamação que todo cidadão pode usar para realizar reclamações a respeito de produtos e serviços.

1 – consumidor.gov.br

O Portal do Consumidor é um recurso criado pelo Ministério da Justiça como parte do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor que possibilita ao consumidor fazer uma reclamação online contra uma empresa. É um serviço público e gratuito que permite a interlocução direta entre consumidores e empresas para solução alternativa de conflitos de consumo pela internet. A pessoa pode registrar uma queixa e a empresa tem até 10 dias para responder. Esse procedimento só é válido para aqueles fornecedores cadastrados no site. Ou seja, o serviço depende de uma adesão voluntária das companhias. O portal serve como um canal de comunicação e, no período de 10 dias, a empresa pode dialogar com o cliente. Ao fim do prazo, precisa dar uma resposta à demanda. Em seguida, o consumidor tem até 20 dias para comentar e classificar a resposta da empresa, informando se sua reclamação foi resolvida ou não resolvida, e ainda indicar seu nível de satisfação com o atendimento recebido. Caso não seja possível resolver sua reclamação por meio do portal, recomendamos que você busque o atendimento dos Procons, Defensorias Públicas, Juizados Especiais Cíveis, entre outros órgãos do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, que poderão orientá-lo e auxiliá-lo na resolução de seu problema de consumo.

2 – Procons

Os Procons são órgãos vinculados aos governos estaduais que atuam na defesa dos direitos dos clientes. Tem como missão principal equilibrar e harmonizar as relações entre consumidores e fornecedores, elaborando e executando a política de proteção e defesa dos consumidores. As atribuições são amplas, destacando-se o trato das reclamações que envolvam o interesse da coletividade, função realizada pelos promotores de Justiça de Defesa do Consumidor. Nesse sentido, são combatidos atos como publicidades abusivas e enganosas, adulteração de produtos, ofertas de produtos ou serviços impróprios, cláusulas abusivas em contratos e práticas desleais ou coercitivas que firam os direitos do consumidor. Os procedimentos variam de acordos com os estados, mas há características comuns. Não há cobrança de taxas para o serviço e qualquer pessoa física ou jurídica pode fazer reclamações, online ou presencialmente, nas sedes e postos de atendimento (confira aqui o contato do Procon da sua região).

3 – proteste.org.br

A Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Cliente é uma entidade civil sem fins lucrativos, apartidária, independente de governos e empresas, que atua na defesa e no fortalecimento dos direitos dos clientes brasileiros. Mantida com as mensalidades de seus associados, e com o aporte e a solidariedade de outras associações de clientes internacionais, a Proteste ajuda os cidadãos a fazer valer seu poder de compra e a conhecer seus direitos. A Proteste intervém, sempre que necessário, nos conflitos de associados com fornecedores e encaminha às empresas e às autoridades reivindicações e propostas pertinentes para melhorar produtos e serviços. O canal de reclamações permite que os associados e usuários registrados encaminhem uma reclamação diretamente para uma empresa e solicitem o apoio de um de especialistas. Estas reclamações são enviadas pelos clientes diretamente para as empresas através desta plataforma. Reclamações encaminhadas por clientes que solicitam a ajuda de especialistas são analisadas e tratadas cuidadosamente pelos especialistas em Defesa do Cliente. Os clientes devem entrar em contato com a empresa diretamente antes da Proteste intervir.

4 – Defensorias Públicas

Segundo a Constituição da República, “a Defensoria Pública é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe, como expressão e instrumento do regime democrático, fundamentalmente, a orientação jurídica, a promoção dos direitos humanos e a defesa, em todos os graus, judicial e extrajudicial, dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita, aos necessitados” (art. 134,caput). Em outras palavras, é dever do Estado, através da Defensoria Pública, garantir assistência jurídica integral e gratuita àqueles que não podem custeá-la. Isso significa muito mais do que o direito a assistência judicial, abrangendo a defesa, em todas as esferas, dos direitos dos necessitados. A Defensoria Pública presta consultoria jurídica, ou seja, fornece informações sobre os direitos e deveres das pessoas que recebem sua assistência. É com base na resposta à consulta que o assistido pela Defensoria Pública pode decidir melhor como agir em relação ao problema apresentado ao defensor público. Confira aqui os contatos das defensorias públicas.

5 – Juizados Especiais Cíveis

Para quem recorre à Justiça, a alternativa mais simples é entrar com uma reclamação em um Juizado Especial Cível (confira aqui o juizado da sua região), que são instâncias específicas dos tribunais de Justiça de cada estado. Pessoas físicas com mais de 18 anos, micro e pequenas empresas e organizações da sociedade civil podem acessar este recurso. As reclamações têm limite de 40 salários mínimos. Se o valor da causa for maior, o consumidor só poderá receber até este limite. Se o caso for de valor de até 20 salários mínimos, não é necessário contratar advogado. No entanto, se o valor for superior, a presença deste profissional passa a ser necessária. As reclamações devem ser feitas por escrito, com cópias de documento de identidade, CPF, comprovante de residência e outros documentos que embasem o processo. É preciso ter também dados da pessoa acionada, como nome, endereço, nacionalidade e profissão. Os juizados especiais buscam resolver os processos por meio de acordos. Para isso são chamadas audiências de conciliação. Caso não haja consenso, o juiz responsável pode determinar uma sanção se considerar que o consumidor está correto em seu pleito.

Conheça o Código de Defesa do Consumidor

Você conhece os seus direitos enquanto consumidor? Sabe que existe uma legislação brasileira que protege e defende o consumidor perante práticas erradas do mercado? Conhecer seus os direitos é uma forma de exercer a cidadania e elevar a qualidade dos produtos e dos serviços do mercado.

O Código de Defesa do Consumidor é um marco na defesa dos direitos de quem vai as compras. A população brasileira viveu até o início da década de 90 sem uma lei que protegesse o consumidor. Quem comprasse um produto quebrado era obrigado a se submeter ao critério da loja, já que a escolha de trocar ou não a mercadoria era do vendedor.

A lei trouxe um avanço para as relações de consumo. Entendeu-se que todo consumidor é considerado vulnerável tecnicamente e que independente de classe social, quem consome não tem domínio técnico do que é consumido. A lei garante ao consumidor mecanismos para exercer a sua cidadania, saber dos seus direitos e apropriar-se deles é fundamental para não ter prejuízos.

Confira a seguir os principais direitos do consumidor:

  • Você tem 7 dias para desistir de uma compra pela internet.
  • Venda casada também é proibida.
  • Cobrança indevida deve ser devolvida em dobro.
  • Pacotes e preços promocionais diferenciados para clientes novos e antigos são ilegais.
  • Estacionamentos não podem se eximir da culpa por furtos ou danos materiais.
  • Toda loja deve expor preços e informações dos produtos.
  • O estabelecimento é responsável por acidentes em seu interior.
  • O pagamento da taxa de serviços não é obrigatório.
  • Consumação mínima é proibida.
  • Nome deve ser limpo até cinco dias após quitação da dívida.
  • É cabível indenização quando o produto é utilizado como instrumento de trabalho.
  • Para os produtos considerados essenciais a troca deve ser imediata.
  • Bancos devem oferecer serviços gratuitos.
  • Se o produto estiver com defeito, o lojista é obrigado a trocá-lo.
  • O consumidor terá 12 meses para utilizar o bilhete em outra viagem para o mesmo destino.
  • Reembolso dos valores pagos a maior.
  • É ilegal cobrar de consumidores itens quebrados na loja.
  • Não existe valor mínimo para compra com cartão.
  • É possível suspender, uma vez por ano, serviços como TV a cabo, água e luz sem custo.
  • Se uma ligação for interrompida, deve ser considerada como uma única chamada.
  • Cobrar pela perda de comanda é prática abusiva.
  • Se não pediu, o consumidor não precisa pagar o couvert.
  • Se o imóvel foi comprado na planta e a obra atrasou é direito seu receber indenização.
  • Se receber um produto ou serviço diferente do anunciado, você pode exigir que o anúncio seja cumprido.
  • Não se pode exigir um valor mínimo para o pagamento com cartão.
  • O consumidor não é obrigado a contratar o seguro contra perda ou roubo do cartão de crédito ou débito.
  • Se você comprou algo pela internet ou pelo telefone e não gostou pode devolver.

Mais informações sobre a Yamaha

Quando a Yamaha surgiu no Japão em 1955, já existiam mais de 100 fabricantes de motocicletas no país. Isso motivou o nosso fundador, Genichi Kawakami, a querer construir as melhores motos, com os preceitos de qualidade e inovação pulsando na alma para melhor satisfazer o consumidor. Foi assim que conquistamos logo de largada posições de liderança em importantes competições de motociclismo e fomos aprimorando nossos produtos. Com este espírito de melhoria contínua a Yamaha chegou ao Brasil em 1970, como a primeira fabricante de motocicletas do país, marcando o início de uma história baseada em dedicação e, acima de tudo, pura paixão. Sua fábrica está situada em Manaus e a parte administrativa em Guarulhos, num total de cerca de 2500 colaboradores.

Como financiar uma Yamaha?

Financiar um produto Yamaha agora ficou muito mais simples, com o LIBERACRED você faz uma compra planejada, que garante a aprovação de um financiamento junto ao Banco Yamaha. PARA GARANTIR A APROVAÇÃO DO FINANCIAMENTO, AO FINAL DO SEU PLANO, É PRECISO TER CUMPRIDO OS REQUISITOS:

  • Ter pago no mínimo 08 recargas pontuais no período de 12 meses;
  • Não ter realizado movimentações dos valores acumulados durante os 12 meses;
  • Não possuir apontamentos no nome ao final do plano.

Como funciona o consórcio de moto Yamaha?

O Sistema de Consórcio é baseado no conceito de cooperação. Mais ou menos assim: pessoas comuns interessadas em adquirir um bem ou serviço por meio de autofinanciamento, colaboram entre si, contribuindo com uma parcela mensal para um grupo criado por uma administradora de consórcio. O valor arrecadado mensalmente por todo o grupo fica guardado em uma conta conjunta. Uma vez por mês, o dinheiro é retirado para comprar um ou mais bens. A pessoa que vai receber o bem é escolhida por sorteio. Uma forma do consorciado aumentar suas chances de contemplação é por meio da oferta de lances. Todas as contemplações acontecem durante uma assembleia, cujo o dia e horário devem ser informados aos consorciados pela administradora. Ao ser contemplado o participante adquire o direito de retirar o bem do plano naquele momento, mas não deixa de realizar suas contribuições mensais que irão complementar o saldo de caixa do grupo e garantir a contemplação dos demais participantes.

Confira também como é o atendimento da Honda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.