black friday

No início do ano, circulava um boato de que a Black Friday de 2020 ocorreria entre o fim de setembro e começo de outubro. A Black Friday poderia ter nova data porque centenas de varejistas brasileiros se uniram para tentar mudar o calendário de vendas. A alteração da data tem função clara: descolar as vendas da Black Friday das vendas do varejo para o Natal. Como as datas atuais são muito próximas, é comum que os consumidores esperem e aproveitem as promoções da data do varejo norte-americano para as compras dos presentes de fim de ano. Alguns setores do comércio acreditam que a Black Friday prejudica as vendas do Natal pois o consumidor entra na época natalina com a cabeça nos descontos, o que diminui muito o consumo. 

Porém, neste ano de 2020, a Black Friday continua no fim de novembro: a Black Friday 2020 será no dia 27 de novembro. Como nos anos anteriores, a Black Friday 2020 no Brasil acontecerá na 4ª sexta-feira de novembro, um dia após o feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos. A Câmara Brasileira do Comércio Eletrônico, entidade de associados que representa 90% do faturamento do setor, também se posicionou sobre o assunto, salientando que a alteração da data da Black Friday seria mais prejudicial do que benéfica para o e-commerce. Primeiramente porque a data ficaria diferente do restante do mundo, perdendo, assim, o apelo de marketing global. Em segundo lugar porque o ainda não recebimento do décimo terceiro salário poderia prejudicar as vendas da Black Friday.

Mesmo com a pandemia, a projeções estão otimistas: o comércio eletrônico deve faturar mais de R$ 3 bilhões durante a Black Friday 2020. As dez categorias mais desejadas pelo e-consumidor na Black Friday são:

  1. Eletrônicos
  2. Eletrodomésticos
  3. Smartphones
  4. Informática
  5. Moda e acessórios
  6. Cosméticos e perfumaria
  7. Casa e decoração
  8. Livros
  9. Brinquedos e games
  10. Esporte e Lazer

O presidente do Google no Brasil, Fabio Coelho, disse durante sua participação no Global Retail Show, evento de varejo e consumo online, que espera uma Black Friday melhor do que em anos anteriores a despeito da pandemia da Covid-19. “Vai ter um pico enorme. Tem um ambiente muito mais preparado e usuários mais informados. Hoje tem mais categorias que antes nem sonhávamos [no e-commerce]. Essa combinação faz com que a gente acredite que a Black Friday vai ser ainda melhor do que as edições dos anos anteriores”, disse o executivo ao exibir gráficos que mostram o índice de buscas em patamares acima dos registrados em uma das principais datas de vendas do calendário do varejo.

A Black Friday no Brasil é diferente da norte-americana onde consumidores se estapeiam por uma TV a 80% de desconto nas lojas físicas. “No Brasil, as grandes marcas não conseguem oferecer as ofertas, e os consumidores já entenderam que vão comprar com 20% ou 30% de desconto no máximo. Além disso, não dá para ter Black Friday só em um dia por aqui, mas sim praticamente todo o mês”, explicou Felipe Paniago, diretor de operações do Reclame AQUI que completou. “Isso não é ruim, pelo contrário. O consumidor brasileiro deu um jeito de a Black Friday dar certo”.

O segredo para ter sucesso nas sua compras da Black Friday é o planejamento, o quanto antes ter estruturado e planejado como será sua compras, maior o resultado de obter boas promoções. Para evitar ser pego pela “Black Fraude” por descontos que não são reais, orientamos que você registre os preços dos produtos que você deseja comprar nos dias anteriores à Black Friday. Assim, você poderá comparar os preços do dia da Black Friday com os preços atuais. Sendo assim, comece fazer sua lista de compras hoje mesmo.

 

7 thoughts on “Quando Será a Black Friday?

  1. Não compro mais em casas Bahia, tive um problema comprei no cartão e não veio a mercadora e não tinha estoque. Gaston, Paquetá, Marisa foram lojas que comprei com um bom desconto.

  2. Para os consumidores mais uma data para compras com preços baixos seria ótimo, mas, sinceramente, acho que o consumidor vai procurar preços baixos em dezembro também. Se a galera do ecommerce continuar com essa abordagem de preços baixos acho que as lojas físicas estão com os dias contados aqui no Brasil porque a diferença de preço está absurda em muitos casos.

  3. A pior loja de site virtual pra mim é a Americanas …. Comprei um armário de cozinha e a fornecedora é a Madeira e Madeira …..que dor de cabeça essas duas me causaram !!! Pedi quatro reposições de portas porque todas vieram com defeitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.